Primeiros robôs vivos criados a partir de células de sapo

Eles podem se mover na direção de um alvo e se curarem se forem cortados.

Os cientistas reaproveitaram células vivas de embriões de sapos e as tornaram em formas de vida inteiramente novas.

Os "xenobots" têm um milímetro de largura e podem se mover na direção de um alvo (talvez na direção de um alvo específico dentro de um paciente para depositar determinado medicamento).

Segundo os cientistas, eles não são robôs e sequer uma nova espécie de animal, é um novo artefato, um organismo vivo e programável.

As novas criaturas foram projetadas em um supercomputador na UVM - e depois montadas e testadas por biólogos da Universidade Tufts. Segundo os cientistas, as possíveis aplicações para no novo "artefato" são muitas, como, por exemplo, pesquisar compostos químicos ​​ou contaminação radioativa, coletar microplásticos nos oceanos, viajar nas artérias para raspar placas etc".

Assista ao vídeo no youtube

Os resultados da nova pesquisa foram publicados dia 13 de janeiro em Proceedings of the National Academy of Sciences.

Fonte: sciencedaily.com - engadget

⇐ VOLTAR